sexta-feira, 22 de abril de 2011

Caminho da Fé é feminino também!!

Dêem uma conferida nesse emocionante e belo relato produzido pela ciclista de São Paulo/SP, Cristina de Barros, que só o Caminho da Fé poderia proporcionar. Vale a pena também conferir a sua estória de vida. Parabéns, Cristina!!


 

Sete roteiros de aventura

Galera, estou me divertindo e viajando quase que literalmente com um livro que por acaso encontrei na Livraria Cultura do Paço Alfandega, trata-se de "Sete Roteiros de Aventura - viajando pelo mundo numa bike" de José Antonio Ramalho, Ed. Gaia.

Nada melhor que uma excelente leitura com belíssimas fotos nessa época de fortes chuvas. Vejam um resumo extraído do Olavo Bikers/SP.

Em abril de 2007 a Editora Gaia publicou de um dos mais versáteis escritores brasileiros, o jornalista José Antonio Ramalho, a obra Guia da Montain Bike. Livro em que o autor ensinava o leitor interagir com uma bicicleta. Na ocasião da entrega dos originais, ficou apalavrado que um segundo livro seria publicado, dessa vez com o autor sugerindo viagens de longo percurso em cima de uma bike. Ele que, naquela ocasião, já havia feito o Caminho de Santiago da Compostela e planejava alguns outros. Autor e editora cumpriram a promessa. Sete roteiros de aventuras – viajando pelo mundo numa bike é o livro que a Editora Gaia acaba de levar às livrarias. “O mundo visto a partir de uma bicicleta tem um ritmo só seu. Nenhum outro meio de transporte propicia a intimidade, a mobilidade e a simpatia oferecidas por uma bicicleta. A sensação de liberdade, o vento acariciando seu rosto e a certeza de que você é o dono do seu destino são algumas das primeiras sensações que a bike oferece”. Com esta frase Ra malho convida o leitor a refazer com ele o roteiro de sete viagens feitas a bordo de uma bicicleta por vários continentes No Himalaia Ramalho pedalou 1.100 km entre a capital do Tibete, Lhasa, até Katmandu, no Nepal. Foi o primeiro brasileiro a pedalar até o acampamento-base do Everest, a 5,2 mil metros de altitude. Por meio de cenários cinematográficos, refez sua viajem ao Marrocos, e dessa vez, pedalando. Pedalou também no Chile, no deserto de Atacama; na Patagônia, onde seguiu a partir do Chile; na Rota Romântica da Alemanha; nas savanas da África do Sul, com suas paisagens que lembram os programas da National Geografic e na vizinha Buenos Aires a capital européia mais ao sul do planeta. As 90 páginas do livro, totalmente ilustradas com excelentes fotografias, do próprio Ramalho, que também é fotógrafo, remetem o leitor a uma belíssima viagem, mesmo que seja imaginária. No entanto, o propósito do autor é fazer que os leitores utilizem as informações do livro como fonte de inspiração para realizar os próprios sonhos. Com um gostinho de “quero mais”, ao fechar o livro, o leitor vai se lembrar que na apresentação José Antonio Ramalho promete outros livros, contando sua experiência no Caminho de Santiago e no Expresso do Oriente, a pedalada entre Paris e Istambul.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Bike Tour Vassouras/RJ 2011

Enfim, com vídeo postado no You Tube e fotos descarregados no notebook posso falar sobre a experiência que vivi nessa competição. De início já digo que em relação a competição meu desempenho pode até se classificar como pífio, mas pessoalmente achei que foi bem positivo.
 Nos pedais que faço aqui pelo Recife, sempre há aquelas paradas para reagrupar por mais rápido que sejam podemos recuperar um pouco do fôlego, além das paradas para reidratar nos bares da vida, então, só nesse quesito foi tudo novidade, pois foram 55 kms sem parar praticamente, apenas para ajustar a trava do pneu ou recuperar o fôlego, ou não, nas subidas casca grossa.



Não sabia como iria reagir com essa distância a ser vencida, num percurso misto, com muita lama nas áreas rurais,choveu bastante na noite anterior, no final acusei cãimbra nas duas pernas o que me custou algumas poucas posições que em nada alterou substancialmente minha classificação mas de qualquer causou um pouco de frustração, então, a minha meta passou ser terminar a prova dignamente.


Resumo da ópera, após percorrer 55 kms de subidas e descidas, lama, piso escorregadio, vários testemunhos de quebras e pneus furados, e um acidente mais sério, cheguei na minha categoria 40-45 anos antes do 25º em 33 competidores e no geral em 258º em 299 que terminaram a prova, fazendo um tempo de 4h17'50''. Face as cãimbras que senti tenho consciência que fiz o meu máximo. Tudo era novo, a competição, o terreno, e essencialmente não fiz uma preparação para uma competição desse porte e sei que não tenho a técnica para disputar um pódio, mas o que mais me importou foi que terminei a prova e não fui o último...hahahahahahahaha.



Quero agradecer ao meu primo Otávio, residente em Vassouras, e a família de sua esposa pela acolhedora recepção.


Quem sabe ano que vem eu volto......


Eu acho que o vídeo ficou massa, dêem uma conferida!!!
Valeu galera!!! Até a minha próxima grande aventura....Estrada Real em Setembro.



Meus vídeos

Loading...

Qual a cicloviagem que você nunca deixaria de fazer?