segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Sim, conseguimos!!

Não considero uma chegada típica dos filmes americanos com bandeirinhas e desfile em carro aberto pelas ruas históricas de Paraty, considero até meio brochante, pois a minha Lady Gaga mais uma vez quebrou desta vez foi o núcleo deixando a magrela sem nenhuma tração o que me impediu de chegar em Paraty pedalando, sorte que quando houve a quebra definitiva já estavamos no topo da Serra da Bocaína.
É bem verdade que até chegar ao topo o núcleo apresentava falha na tração, eventualmente, o que me deixava super irritado mas tive de me controlar pois desespero naquela hora em nada ajudaria e foi assim até chegar em Paraty, já na ciclovia da cidade acabei por pegar um táxi que nos levou até a bicicletaria onde deixaria Lady Gaga para ser desmontada.
De saldo ficam as lembranças dos bons e maus momentos, o sentimento de vitória sobre os desafios diários, das novas amizades, da satisfação de rever antigos amigos dos Zuandeiros de Aracaju, da beleza dos vales infindáveis, de conhecer um pouco mais das  belezas naturais do meu país, do aprendizado das palavras de serenidade do amigo Macelo, das intermináveis brincadeiras do amigo Zeca, do ensinamento que a Estrada Real deixou de que na vida as vitórias valorosas tem seu custo, que temos de abdicar de algumas horas a mais de sono para termos tempo de administrar as adversidades.
Enfim, a Estrada Real considero como uma grande aventura e também inesquecível. Valeu.



quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Quem não madruga a Estrada Real pune!!!

Chegamos em Cunha/SP, amanhã, se Deus quiser, chegaremos em Paraty. Desde que passamos a madrugar e sair antes das 07:00hs nosso pedal diário passou a render. Aprendemos que não há dia fácil na Estrada Real as possibilidades de quebra, de se perder nos caminhos por falta de sinais que indiquem o caminho correto são um fato, optamos por seguir as planilhas do Guia do Antonio Olinto que privilegia caminhos que saem do asfalto sempre concorridos por veículos pesados e sem acostamento. Em um desses trechos acabei quebrando o câmbio traseiro, e por sorte havíamos acabado de subir uma baita serra e aí ajudou bastante a descer na "banguela" até a cidadezinha mais próxima e de lá pegamos um buzão até Caxambu/MG. E assim foi a Estrada Real, tivemos a felicidade de conseguir sempre superar as adversidades com calma e raciocínio. No final ficou uma grande experiência positiva em nossas vidas, Zeca, com seu costumeiro espírito leve, sempre com um sorriso no rosto para nos tranquilizar e mostrar que nada estava tão ruim que não pudessemos dar uma solução. Macelo, sem "R" mesmo, com sua experiência de pedal, extrema invejável condição física, sempre nos orientando a realizar as manutenções da bike, nosso mestre "Yoda". Muito boa mesmo a equipe, e assim foi uma verdadeira equipe, sem competições, no companheirismo, todos prontos a escutar e ajudar um ao outro nas adversidades. Maravilha. Depois postarei os vídeos com as fotos. Obrigado  a todos que acompanharam a nossa aventura e desculpe pela ausência mas quando não era o cansaço era a falta de opção de acesso a net que nos impedia de atulizar o blog. Valeu.

























segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Uahhh!! Chegamos na metade!!



Como diz o bom mineirês, "uahh", chegamos em Caxambu, depois de ficarmos sem condições de usar a internet nas duas últimas noites, Tiradentes e Traituba, estou aqui na recepção da Pousada Águas de Caxambu com a colaboração do atencioso Joaquim. O que posso dizer até agora é que na Estrada Real é onde o biker chora e a mãe não vê. Apesar de estarmos fazendo o percurso que possui um pouco menos de subidas (Ouro Preto - Paraty), o trajeto não é fácil, em todos os sentidos, estradão com pedras soltas, areião, mata-biker, costela de vaca, chão duro e irregular, enfim, já foram 4 pneus furados, dois raios quebrados, um bagageiro quebrado, um cubo preso, e ainda tem a questão da navegação que em um trecho perdemos um bom tempo perdido numa fazenda, mas entre mortos e feridos todos salvos e felizes.
            A beleza natural das serras por onde passamos não há palavras que o homem inventou para definir, nunca se conseguirá transmitir a emoção de estar mais próximo do céu. Bem amanhã seguiremos para Itanhandu, depois Lorena, Guaratinguetá e finalmente Paraty.
            Vou finalizando pois não pretendo ser incoveniente com o rapaz da recepção da Pousada, Obrigado por estarem acompanhando.
             Tentei postar mais fotos mas foram somente que consegui por aqui, amanhã quem sabe consigo postar mais!! Valeu!!


quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Cumprimos a meta de hoje!!!

Saímos de Ouro Branco às 07:00hs e chegamos em Casa Grande por volta das 16:00hs. Total percorrido de 53 kms. Hoje apesar de mais longo foi menos cansativo, mas subida é que não falta. Amanhã seguiremos para Tiradentes com percurso previsto de 58 kms. Vamos que vamos como diria minha amiga cicloturistíca, Cris!! Valeu pelos comentários Paulo Rafael e a maninha Cris. Hoje houve duas quebras de raio, um meu e outro do Zeca, acho que estamos pesados, kkkkkkkk!! Dois pneus furados um meu e outro do Zeca, também!! O Macelo é o tarado da equipe, não teve subida que ele pedisse arrego, cabra de peia!! O percurso de hoje foi misto, parte rural parte asfalto. Acho que é só, maiores detalhes é só pedir que eu incluo. Abraços amigos.


Jantar do primeiro dia

Saída de hoje







Foto com seu Valdir, descendente de Tropeiro da Estrada Real



quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Que m..... esqueci o bagageiro!!!

Foi assim que comecei a Estrada Real!!! Simplesmente quando estava montado a bike descobri um pequeno detalhe, a ausência do bagageiro, que m.... estou me batendo até agora!!! Restou para o Zeca levar meus alforges no seu bagageiro até a cidade de Ouro Branco distante cerca de 32 kms de Ouro Preto onde estamos hospedados na Pousada Estrada Real. Em Ouro Preto não havia bicletaria que vendesse bagageiro. Comprei aqui em Ouro Branco. O pior foi que separei o bagageiro para por na caixa mas acho que me distrai quando fui limpar a bomba de encher pneu que estava oxidada e suja. Obrigado Zeca mas diminui a produção de gases que tá ph....!! Duda "manu véi" tá faltando você aqui, a vida é curta meu irmão!!!








Meus vídeos

Loading...

Qual a cicloviagem que você nunca deixaria de fazer?